Jean Gaumy (1948)

Nascido em Pontaillac (França), Gaumy focou  sua câmera nas realidades mais duras. Foi o primeiro fotógrafo a mostras os presídios de seu país (1976). Em 1977 ingressou na agência Magnum, sobressaindo-se com reportagens sobre a vida em barcos pesqueiros e, em 1986, sobre as mulheres nos acampamentos da milícia iraniana. Entre outros prêmios, em 2001 recebeu o Nadar. Sua obra foi exposta no Museu marítimo Nacional e no Centro Beaubourg de Paris, e na Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos. Publicou vários livros, entre os quais se destacam L´hopital (1976), Le livre dês tempêtes (2001) e Pleine mer (2002). Como cineasta, produziu os documentários La Boucane (1984), Jean-Jacques (1987), Marcel, prêtre (1994) e, em vídeo, Sous-marin (2006).

Jean Gaumy documentou com maestria a solidão dos pescadores. Suas fotografias registram as condições extremas de vida dos homens de mar e as espetaculares cenas protagonizadas pelas inclemências do tempo. Gaumy chegou a embarcar em um submarino nuclear e passar longos meses no ambiente hermético, nas profundezas do oceano.

Anúncios